ÁSIA/FILIPINAS - Pena de morte: a Igreja se opõe ao presidente Duterte

Quarta, 22 Junho 2016 pena de morte   política   igrejas locais  

Amnesty

Manila (Agência Fides) – A Igreja católica nas Filipinas fará todo o possível para desencorajar ações políticas que possam reintroduzir a pena de morte no país. Como apurado pela Fides, o Presidente da Conferência Episcopal das Filipinas, o Arcebispo Socrates Villegas de Dagupan-Lingayen disse que tentará se encontrar com o recém-eleito Presidente Rodrigo Duterte para pedir-lhe que reconsidere o seu plano de relançar a pena capital. Duterte declarou que quer submeter ao Congresso filipino uma medida para reestabelecer a pena de morte, pelo menos para crimes mais graves.
Vários Bispos expressaram reservas, recordando a doutrina católica, afirmada pelo Papa Francisco. O Arcebispo de Lipa, Ramon Arguelles, recordou que a pena capital não é um instrumento inibidor para o crime, fazendo votos que este passo “não aconteça justamente enquanto a Igreja celebra o Ano da Misericórdia”. Também o Arcebispo de Cebu, Oscar Cruz, contestando as intenções do Presidente, anunciou que “certamente haverá oposição a este plano: a Igreja não ficará olhando”, enquanto o Bispo de Balanga, Ruperto Santos, recordou que “somente Deus tem poder sobre a vida. Deus dá a vida e Deus a tira. Ninguém pode brincar de Deus”. Ao invés, o Bispo sugere uma “reforma do sistema judiciário e carcerário”.
Duterte baseou grande parte de sua campanha eleitoral nos temas da luta ao crime, da legalidade e do fim da impunidade para os culpados por crimes. O novo presidente da ‘Comissão para direitos humanos’ das Filipinas, Jose Luis Guascon, recordou que o objetivo do sistema penal filipino é do tipo reabilitativo, enquanto a pena de morte contraria concretamente esta opção. (PA) (Agência Fides 22/6/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network