ÁSIA/SÍRIA - Assad recebe o Patriarca e seis bispos sírio-católicos: “O presidente projeta uma nova Constituição laica”

Sexta, 17 Junho 2016 política internacional  

SANA.sy

Damasco (Agência Fides) - O Presidente sírio, Bashar al-Assad, tem um programa de reforma da Constituição para a nação por ele guiada, e imagina um texto constitucional que deveria ter menos referência à charia como fonte principal da legislação, a fim de eliminar todo pretexto jurídico em relação às discriminações das minorias religiosas.
São estes alguns dos projetos para o futuro confiados pelo próprio Assad a uma delegação da Igreja sírio-católica, formada pelo Patriarca Ignace Youssif III acompanhado por seis bispos, recebidos pelo Presidente sírio, em Damasco, na segunda-feira, 13 de junho.
Durante o encontro que durou uma hora e meia, Assad manifestou a intenção de tirar da nova Constituição, plenamente laica, a medida que vincula o Chefe de Estado sírio a professar a religião muçulmana. O líder sírio, que estava presente no encontro, disse à Agência Fides que em poucos dias a situação de conflito que explodiu novamente em Aleppo, e agora está congelada com uma trégua de dois dias, será completamente resolvida com a criação de um bloqueio militar em torno da cidade que impedirá o fornecimento de armas aos bairros das periferias nas mãos das forças antagonistas, a maioria de matriz islâmica, mas sem ataques contra os bairros, para evitar novos sofrimentos aos civis.
O Presidente Assad os definiu também como ‘nossos filhos’ e insistiu muito sobre a matriz internacional e não nacional do conflito sírio, sublinhando que agora, nas palavras, todos querem combater os jihadistas do Estado Islâmico (Daesh), mas ainda distinguem claramente entre aqueles e os grupos qaedistas como Jabhat al Nusra” refere à Agência Fides o Arcebispo Jacques Behnan Hindo, responsável pela diocese sírio-católica de Hassakè-Nisibi, presente no encontro.
Na conversa entre o Presidente e os membros da delegação eclesial foram mencionados os boatos de uma possível divisão da Síria no campo étnico e sectário, com a criação de um Estado curdo independente e de um islâmico, cenários que Assad sempre considerou inaceitáveis. No encontro com o Patriarca e os bispos sírio-católicos, o presidente sírio não fez nenhuma menção ao Papa ou à Santa Sé, e convidou os seus interlocutores a intensificarem contatos e partilhar opiniões e iniciativas sobre a situação trágica no Oriente Médio com a Igreja ortodoxa russa. (GV) (Agência Fides 17/6/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network