ÁFRICA/QUÊNIA - Nova declaração dos líderes religiosos para denunciar “os discursos que incitam o ódio”

Quarta, 15 Junho 2016 política  

Nairóbi (Agência Fides) - “Notamos o aumento dos discursos inflamatórios e bélicos por parte de alguns políticos. Esta tendência é alarmante e não deve criar raízes na cultura político do país”, afirmam os líderes religiosos do Quênia, num novo pronunciamento sobre o aumento da tensão política em vista das eleições gerais de 2017 (veja Fides 30/5/2016).
Numa declaração comum lida em 14 de junho por Dom Cornelius Korir, Bispo de Eldoret e Presidente da Comissão “Justiça e Paz”, e pelo Reverendo Peter Karanja, Secretário-Geral do National Council of Churches of Kenya (NCCK), os líderes religiosos pedem a prisão e o julgamento imediato das pessoas que pronunciam discursos que incitam a violência.
“Já que o país está se preparando para as eleições gerais do próximo ano, todos os casos pendentes de discursos que incitam o ódio devem ser julgados rapidamente e os que foram julgados culpados, condenados”.
Os líderes que assinaram a declaração pertencem à Conferência Episcopal do Quênia, ao National Council of Churches of Kenya (NCCK), ao Evangelical Alliance of Kenya (EAK), ao Supreme Council of Kenya Muslims (SUPKEM), ao National Muslim Leaders Forum (NAMLEF),à Organization of Africa Instituted Churches (OAIC) e a Seventh Day Adventist Church.
Na metade de junho, a polícia prendeu seis parlamentares com a acusação de terem pronunciado discursos que incitam o ódio. (L.M.) (Agência Fides 15/6/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network