ÁFRICA/UGANDA - Os Bispos: “Não ao uso político da justiça, sim ao diálogo para resolver os problemas”

Quarta, 15 Junho 2016 bispos   política  

Campala (Agência Fides) - “Não ao uso político da justiça!”, advertem os Bispos ugandenses numa declaração publicada ao final de seu retiro em Nsaambya, nas proximidades de Campala. “Notamos as pressões indiretas do sistema judiciário, que é usado para resolver controvérsias que, normalmente, necessitam de uma solução política ao invés de recorrer a instrumentos legais”, afirma a declaração assinada por Dom John Baptist Odama, Presidente da Conferência Episcopal de Uganda, enviada a Fides.
O principal adversário do Presidente Yoweri Museveni (no poder há 30 anos), Kizza Besigye, está em prisão domiciliar desde 11 de maio, com a acusação de “traição”, depois de ter organizado uma cerimônia para prestar juramento como “Presidente”. Besigye contesta os resultados das eleições de fevereiro passado, que deram novamente a vitória a Museveni (veja Fides 19/2/2016).
Depois de recordar alguns trechos das Sagradas Escrituras que prescrevem a imparcialidade dos juízes, os Bispos deploram “a incerteza que continua ameaçando muitas partes do nosso país”, notando que depois das eleições “muitas pessoas parecem infelizes, desencorajadas e amarguradas, enquanto se perdeu a esperança por um país melhor e mais unido”.
A Conferência Episcopal lança então um apelo “a todos os líderes políticos para que explorem os caminhos do diálogo democrático para discutir abertamente suas recriminações em vários níveis, como uma estratégia para promover a responsabilidade política”. “Continuamos convidando os líderes políticos a darem prioridade à política da inclusão e não a da exclusão”, concluem os Bispos. (L.M.) (Agência Fides 15/6/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network