AMÉRICA/NICARÁGUA - Negar os direitos mata o povo, estão se fechando os espaços de participação democrática

Terça, 14 Junho 2016 política   direitos humanos   bispos   eleições  
Dom Silvio José Baez

Dom Silvio José Baez


Manágua (Agência Fides) - Os Bispos da Nicarágua continuam se pronunciando contra a decisão do presidente Daniel Ortega de não permitir a presença de observadores, nacionais e internacionais, nas eleições presidenciais de 6 de novembro (veja Fides 7 e 8/06/2016).
O Bispo Auxiliar da Arquidiocese de Manágua, Dom Silvio José Baez, na homilia dirigida aos sacerdotes da Diocese de Matagalpa fez todos refletir sobre a situação social que o país vive: "Como se mata através das fofocas, assim o povo é assassinado de forma institucional quando são negados os seus direitos", disse o bispo. "No país, lentamente, estão se fechando os espaços para a participação democrática. Acredito que para a Nicarágua faça muito bem o que favorece a pluralidade ideológica", disse Dom Baez em seu diálogo com a imprensa após a missa com os sacerdotes.
"A única ideologia, o único partido não é bom para o país", reiterou. "A pluralidade não significa necessariamente conflito, confrontação. Este é o grande desafio: apreciar e reconhecer a diversidade de opiniões. Isso também significa uma coexistência pacífica, o respeito pela diversidade dos direitos humanos dos cidadãos".
Desde as últimas informações descobre-se que o Supremo Tribunal decidiu retirar a representância legal a Eduardo Montealegre, chefe do Partido Liberal Independente, uma das forças da oposição contra o presidente Ortega. O Conselho Supremo Eleitoral (CSE) ordenou a retirada do partido, fato que tem causado reações na população em todos os níveis, porque tal medida favorece Ortega. Embora o CSE tenha motivado a decisão com a falta de requisitos necessários no partido, foi criticado por todos por agir muito em atraso. (CE) (Agência Fides, 14/06/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network