AMÉRICA/NICARÁGUA - Empresários solicitam o Conselho Eleitoral a decidir sobre os observadores internacionais

Quarta, 8 Junho 2016 política   eleições   economia   democracia  

Presidente Ortega

Manágua (Agência Fides) – Uma instituição que tem importância capital no setor da economia da Nicarágua, o Conselho superior dos Empresários, insiste no pedido de receber observadores internacionais nas eleições presidenciais de 6 de novembro, embora o Presidente Daniel Ortega tenha negado definitivamente a hipótese em seu discurso ao congresso do FSLN (veja Fides 7/06/2016).
A nota enviada pelo jornal local “La Prensa” à Fides ressalta que contudo, não é dever do Presidente Ortega decidir sobre os observadores, mas do Conselho Supremo Eleitoral (CSE). O presidente do Conselho dos Empresários, José Adan Aguerri, em sua coluna publicada pelo mesmo jornal, em 7 de junho, solicita o organismo do Estado – a quem compete "de acordo com seus poderes legais definidos no art. 10, par. 8 (da lei eleitoral), regulamentar o credenciamento e a relativa participação de observadores nacionais e internacionais nas eleições, respondendo à solicitação de grande parte dos nicaraguenses de todas as ideologias políticas de nosso país”.
A nota informa que os Bispos da Igreja católica falaram em nome próprio sobre a questão fundamental, reiterando o pedido de observadores internacionais, já apresentada pela Conferência Episcopal a Daniel Ortega em 21 de maio de 2014. O Card. Leopoldo Brenes, Arcebispo de Manágua; Dom Silvio Baez, Bispo auxiliar de Manágua; Dom Jorge Solórzano, Bispo de Granada e Dom Rolando Alvarez, Bispo de Matagalpa, deploraram, nestes dias, o anúncio do Presidente Ortega e insistiram na necessidade dos observadores eleitorais, nacionais e internacionais, para as eleições de novembro.
(CE) (Agência Fides, 08/06/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network