VATICANO - Assembleia POM: “Não temam deixar-se renovar pelo Espírito”, exorta Dom Rugambwa

Quinta, 2 Junho 2016 pontifícias obras missionárias   animação missionária  

Roma (Agência Fides) – “Graças à experiência de evangelização, missão, oração, testemunho e caridade das jovens Igrejas, desejamos que toda a Igreja possa reavivar a sua paixão por Cristo e o anúncio do seu Evangelho”, sublinhou Dom Protase Rugambwa, Secretário adjunto da Congregação para a Evangelização dos Povos e Presidente das Pontifícias Obras Missionárias (POM), em seu discurso na Assembleia geral das POM, em andamento em Roma (veja Fides 28/05/2016) sobre o tema “Despertar a consciência da missão hoje. As POM a serviço das jovens Igrejas”.
O Arcebispo retomou e reiterou sua afirmação de três anos atrás, quando participou pela primeira vez da Assembleia Geral: “As POM têm motivo de existir apenas se mantiverem a própria especificidade: animação, formação, cooperação com as Igrejas locais pela Missio ad Gentes. Nós não somos uma das muitas agências de caridade que coletam verbas para países emergentes. O que caracteriza nosso serviço é a primeira evangelização, a sua característica de universalidade”.
No ano centenário de uma das quatro Pontifícias Obras, a Pontifícia União Missionária (PUM), nascida de uma intuição do beato Paolo Manna, “para que todos os batizados fossem sensíveis, apaixonados e informados sobre seu dever missionário Ad gentes”, caracteriza a Assembleia deste ano. Dom Rugambwa destacou a necessidade de uma reavaliação, de uma reforma da PUM em seu papel de “alma” de todas as POM, como a definiu o beato Papa Paulo VI. “Esta feliz intuição – afirmou o Arcebispo – nos convence não apenas a repensar e renovar as PUM em um processo gradual realizado junto sobretudo com as outras três Obras Pontifícias, mas que este processo seja benéfico para seu trabalho e sua identidade, fortemente vinculadas ao apoio econômico das Igrejas missionárias”. Em seguida, exortou a “não temer” se deixar renovar pelo Espírito : “No contexto de uma Ecclesia semper reformanda, também as Pontifícias Obras Missionárias, graças aos cem anos da PUM, não devem temer fortes ventos de convite à conversão, à reforma, ao ‘morrer e ressurgir’”.
Depois de ilustrar um quadro panorâmico das principais atividades desempenhadas pelas Secretarias gerais no ano passado e indicar algumas etapas futuras, o Presidente das POM concluiu sua intervenção com estas palavras: “Como o semeador, preocupado apenas com a qualidade da semente, com a preparação do terreno e a boa qualidade de seu trabalho, nós também aguardamos o bom fruto do Espírito que sempre nos renova e nos torna atentos, atentos aos sinais dos tempos, à necessidade constante de conversão pessoal e à corajosa reforma das estruturas que servem à missão e à salvação do mundo inteiro”. (SL) (Agência Fides 02/06/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network