ÁSIA/PAQUISTÃO - Shahbaz Bhatti, um crime ainda impune

Quarta, 1 Junho 2016 blasfêmia   minorias religiosas   terrorismo   liberdade religiosa   direitos humanos   justiça  

Facebook

Lahore (Agência Fides) – “Passaram-se cinco anos, mas os assassinos do ministro católico Shahbaz Bhatti não foram entregues à justiça. Em 2011, Bhatti, prestigiado defensor dos direitos humanos no Paquistão, foi brutalmente assassinato pelo grupo terrorista Tehrik-e-Taliban Paquistão, que reivindicou com orgulho a responsabilidade pelo homicídio”: é o que diz à Agência Fides o advogado cristão Sardar Mushatq Gill, engajado na defesa dos cristãos no Paquistão.
“Após a morte de Bhatti – nota o advogado – a liderança política não está fazendo passos suficientes para pedir às autoridades policiais e à magistratura que conduzam os assassinos à justiça. Além disso, ninguém pede que se ab-rogue a lei sobre a blasfêmia, que continua a fomentar violências de massa, homicídios cometidos impunemente e marginalização das minorias religiosas”.
O advogado Gill recorda que muitos outros ativistas e defensores de direitos humanos estão em risco, principalmente aqueles que defendem casos de pessoas acusadas injustamente de blasfêmia, “mas o Estado não oferece proteção e segurança adequadas”. Embora o tema tenha sido discutido pela comunidade internacional, em várias sedes, “os abusos da lei sobre a blasfêmia prosseguem e a impunidade com que são tratados os abusos torna a defesa dos direitos humanos um esforço perigoso no Paquistão”, observa Gill, recordando que também os ativistas e legais da Ong LEAD, dirigida por ele, não sofreram ameaças e agressões. (PA) (Agência Fides 1/6/2016)




Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network