ÁSIA/PAQUISTÃO - Blasfêmia nas redes sociais: um cristão preso, outros cinco acusados

Segunda, 30 Maio 2016 minorias religiosas   liberdade religiosa   blasfêmia   direitos humanos   mulher   meios de comunicação de massa  

The voice

A advogada Anthony com a mulher do acusado

Sheikhupura (Agência Fides) – O cristão Usman Masih foi preso pela polícia no vilarejo de Nabi Pura, nas proximidades de Sheikhupura, no Punjab, com a acusação de blasfêmia, depois de uma denúncia apresentada por alguns muçulmanos que o acusam de ter postado material blasfemo nas redes sociais, como Facebook. A Agência Fides recebeu a notícia de Aneeqa Maria Anthony, cristã e responsável pela Ong “The Voice”, que acompanha casos de cristãos discriminados e acusados injustamente.
Segundo o relato da advogada Anthony, no vilarejo de Nabi Pura se registram há cerca de uma semana tensões entre grupos cristãos e muçulmanos: estes ameaçaram incendiar casas cristãs por causa de supostos atos blasfemos. A questão nasceu nas redes sociais: grupos de jovens cristãos e muçulmanos iniciaram a fotografar jovens e postar as fotos no Facebook com comentários humilhantes ou não respeitosos. Na conta de alguns cristãos teriam aparecido também posts e comentários ofensivos contra o Profeta Maomé. Os jovens cristãos referem que esses posts pertencem a um homem de nome Hannan, que vive em Dubai: segundo o mecanismo das redes sociais, compartilhando a amizade no Faceebok com ele, os seus posts aparecem também na conta dos cristãos locais, que não têm qualquer responsabilidade.
O fato é que a polícia, depois da denúncia, prendeu um cristão e está investigando outros cinco. “The Voice” encontrou provas de comentários não respeitosos contra mulheres, mas não atos de blasfêmia. “Transformar o caso numa questão religiosa é completamente errado”, disse a advogada Anthony a Fides. “Esperamos que a polícia o apure e que ajude a manter a paz e a segurança no vilarejo”, conclui. (PA) (Agência Fides 30/5/2016)


Compartilhar: