ÁFRICA/EGITO - Violência contra os coptas na província de Minya, intercedem o Patriarca Tawadros e o Presidente al Sisi

Sexta, 27 Maio 2016 sectarismos  

CoptsUnited

Minya (Agência Fides) - Sete casas e lojas pertencentes a cristãos coptas foram incendiadas e saqueadas. Uma cristã idosa foi insultada, agredida e despojada em público por uma gangue de agressores enfurecida. Este é o balanço provisório da nova onda de violência sectária contra os coptas que explodiu em al Karm, na província de Minya, no Alto Egito. Desta vez, a desencadear a fúria de gangues invasoras foram boatos sobre uma relação sentimental entre um egípcio copta (filho da senhora de setenta anos agredida) e uma mulher muçulmana.
A nova explosão de violência sectária, há poucos dias do encontro que teve lugar em Roma entre o Papa Francisco e o Grande Imame de al-Azhar, Ahmed al-Tayyib, chamou a atenção do debate público no Egito, sobretudo por causa da violência e humilhação perpetrada contra a senhora idosa. O Patriarca copta ortodoxo Tawadros II, atualmente na Áustria, emitiu uma declaração em que fala da possibilidade de que os fatos de al Karm possam ser usados para acionar uma nova espiral de confrontos sectários, e chama todos a tutelar juntos a coexistência pacífica entre as diversas componentes da população egípcia. Até mesmo o presidente Abdel Fattah al Sisi – refere um comunicado difundido em 26 de maio pela equipe presidencial – fez um apelo aos departamentos governamentais competentes para que os responsáveis da violência de al Karm sejam prontamente identificados e punidos. De acordo com informações da imprensa local, pelo menos cinco pessoas foram presas sob a acusação de ter participado das agressões contra a mulher idosa e as casas dos coptas. (GV) (Agência Fides 27/5/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network