ÁSIA/INDONÉSIA - Igreja e sociedade civil contra as execuções capitais

Terça, 24 Maio 2016 direitos humanos   perseguições   política  

Igreja contra novas execuções capitais

Jacarta (Agência Fides) - Um apelo urgente e uma campanha para deter as novas execuções capitais planejadas pelo governo indonésio e anunciadas como iminentes: é o que estão preparando, como apurado pela Agência Fides, organizações católicas e grupos da sociedade civil indonésia. Segundo as informações divulgadas pela polícia local, são 15 os detentos no corredor da morte da prisão da ilha de Nusakambangan, diante da cidade de Cilacap (Java Central), prontos a serem justiçados. Trata-se de pessoas de várias nacionalidades: quatro chineses, dois de Zimbábue, dois nigerianos, um senegalês, um paquistanês e cinco indonésios, todos condenados à morte por crimes de detenção e tráfico de droga.
A Igreja indonésia, que várias vezes desaprovou publicamente o recurso à pena capital, agiu rapidamente: quinta-feira, 26 de maio, haverá em Jacarta uma reunião de emergência com a participação da Comissão ‘Justiça e Paz’ da Conferência Episcopal Indonésia, a Comunidade de Santo Egídio-Indonésia e algumas dentre as maiores associações indonésias engajadas na defesa dos direitos humanos, como Kontras, Imparsial, Elsam, LBH Masyarakat.
Dom Ignazio Suharyo, Arcebispo de Jacarta e presidente do episcopado indonésio, participou do seminário intitulado “A pena de morte em uma nação democrática” organizado no dia 18 de maio pela universidade católica Atma Jaya, em Jacarta. Em previsão das novas execuções, o arcebispo reiterou a posição da Igreja, contrária à pena de morte em nome da dignidade e do direito à vida de toda pessoa. “As leis não são perfeitas e os juízes podem cometer erros. Quando se pensa que as leis são perfeitas, começa a injustiça”, disse Dom Suharyo.
Como informa uma nota enviada à Fides, o líder da Comunidade de Santo Egídio-Indonésia, Teguh Budiono, que coordenará o encontro de 26 de maio, agradeceu o arcebispo, confirmando que a Igreja e a sociedade civil pedirão uma campanha de conscientização da cidadania para deter as execuções. Jacarta é uma das 15 cidades indonésias que passados hospedou a manifestação “Cidades pela vida, cidades contra a pena de morte”, organizada por Santo Egídio em mais de dois mil municípios nos cinco continentes.
Em 2015, o governo indonésio, não obstante as pressões internacionais contrárias, executou 14 detentos condenados à morte por crimes ligados a drogas. (PA) (Agência Fides 24/5/2016)



Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network