ÁSIA/IRAQUE - Refugiados cristãos acolhidos na Eslováquia pedem para ser repatriados

Quarta, 18 Maio 2016 refugiados  

Church Journey.com

Bratislava (Agências Fides) – Pelo menos 20 dos 149 refugiados iraquianos que se encontram há alguns meses na Eslováquia, com base no programa de acolhimento ‘seletivo’ reservado a refugiados cristãos, decidiram retornar ao Iraque, justificando a decisão com a saudades da própria terra e as dificuldades de se adaptar ao contexto cultural do país que os acolheu. Os refugiados que retornaram ao Iraque – informam fontes locais – faziam parte do grupo de cristãos iraquianos originários das aldeias da Planície de Nínive que foram obrigados a deixar suas casas em agosto de 2014, diante do avanço das milícias jihadistas do autoproclamado Estado islâmico (Daesh).
O grupo chegou à Eslováquia em 10 de dezembro passado graças à mobilização da associação Pokoj em Dobro (Serenidade e generosidade) e representa ainda hoje o único grupo de refugiados acolhido em terras eslovacas com o consenso do governo local. Em abril, um análogo programa de acolhimento ‘selecionado’ reservado a refugiados iraquianos cristãos foi suspenso na República Checa em reação à tentativa de 25 refugiados cristãos que depois de chegar ao país, tentaram se deslocar sem autorização para a Alemanha (veja Fides 9/4/2016).
Também aquele programa de acolhimento, dirigido especificamente a refugiados cristãos, representava um teste implicitamente sintonizado com as correntes de pensamento – ativas sobretudo em alguns países do leste europeu – que consideram os refugiados cristãos como os ‘mais idôneos’ a ser acolhidos na Europa, em relação a seus compatriotas muçulmanos. Também naquele caso, pouco tempo depois de sua chegada à República Checa, muitos cristãos iraquianos, pediram e conseguiram retornar ao Iraque, declarando sentir saudades de sua pátria e enfrentar dificuldades em um contexto cultural por eles visto como estranho.
O governo checo é um dos que se opuseram às propostas de colocação dos refugiados entre os países europeus segundo o sistema de cotas. Pesquisas revelam que mais de 60% dos checos são contrários a acolher refugiados de zonas de guerra. (GV) (Agências Fides 18/5/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network