ÁFRICA/RD CONGO - “Presidente, intervenha para deter os massacres no Kivu do Norte”: apelo de um padre assuncionista

Sexta, 13 Maio 2016 missionários   massacres  

Kinshasa (Agência Fides) - “Presidente, lhe peço para se interessar pelo que acontece em Beni, no Kivu. Poderia levar em consideração um inquérito sério para se obter uma justiça adequada?”. É o apelo contido em uma carta ao Presidente da República Democrática do Congo, Joseph Kabila, de pe. Gaston Mumbere, que assina como “Membro da Congregação dos Agostinianos da Assunção”. A esta mesma Congregação pertenciam Jean-Pierre Ndulani, Edmond Bamtupe e Anselme Wsukundi, sequestrados em 19 de outubro de 2012, e pe. Vincent Machozi, assassinado em 20 de março (veja Fides 22/3/2016).
Na carta, cujo texto foi enviado à Agência Fides, pe. Mumbere recorda os massacres perpetrados por diversos grupos armados no território de Beni, no Kivu do Norte, leste da RDC (veja, por exemplo, Fides 29/2/2016). O religioso descreve crimes assustadores cometidos contra a população civil, como crianças degoladas ou massacradas a marteladas.
Citando a cifra de 8 milhões de mortos, causados por mais de 20 anos de guerra civil e instabilidade na região (dado que a Fides não pode atualmente verificar), pe. Mumbere ressalta polemicamente que “a este ritmo, o Sr. pode se tornar o Presidente dos mortos, dos cemitérios e das valas comuns”.
“Os sobreviventes e seus amigos ainda são numerosos. Cada um deles lhe escreverá. (…). O Sr. ainda pode e é competente para ouvir estes gritos de humanidade de Beni. Se o Sr. é ainda competente e não age, logicamente correrá o risco de ser acusado de cumplicidade”, conclui o padre assuncionista. (L.M.) (Agência Fides 13/5/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network