AMÉRICA/CHILE - Dom Infanti: “Ontem foi Aysen, hoje é Chiloé, amanhã haverá outras crises”

Sexta, 13 Maio 2016 meio ambiente   política   bispos   catástrofes naturais  

Dom Luigi Infanti della Mora O.S.M.

Aysén (Agência Fides) – "A crise na região de Los Lagos apresenta um projeto de país sempre mais em discussão, porque o desenvolvimento deste sistema social, essencialmente neoliberal, ao invés de produzir crescimento, está causando graves prejuízos à casa comum em que vivemos", afirma o Vigário Apostólico de Aysen, Dom Luigi Infanti della Mora O.S.M., numa declaração intitulada "Chiloé: o mar foi morto", que se refere à crise socioambiental que a região está vivendo (veja Fides 10 e 11/05/2016).
No documento, enviado a Fides, o Bispo afirma: "Registramos mais uma vez uma explosão social no sul do Chile: ontem Magallanes e Aysen, hoje Chiloé e a região de Los Lagos. Esses fatos não são um caso, têm causa e responsáveis, são os efeitos de um modelo de desenvolvimento e industrialização planificada para explorar os recursos naturais do sul e em todo o Chile. A terra, a água e o mar foram privatizados, porque antes foram privatizadas as consciências e a organização social, e hoje continuamos sofrendo as consequências".
O Bispo denuncia “uma exploração exagerada dos recursos” que são entregues “às grandes multinacionais que buscam somente o próprio benefício, matando a região". "A de Chiloé não é somente uma crise ambiental, mas uma crise moral. Se um tipo de trabalho destrói o ambiente em que vivemos, a casa comum em que vivemos, se prejudica a nossa vida, a nossa cultura, a nossa tradição, que são a grande riqueza que temos, e fere gravemente a dignidade das pessoas, da população, isto é morte. Depredar o nosso meio ambiente é ferir gravemente a nós mesmos", concluiu.
Ontem, houve manifestações a favor de Chiloé em Valparaiso, organizadas pelos estudantes universitários, e em Puerto Mont, onde cerca de três mil pessoas protestarem. O governo não acolheu o pedido de nomear um delegado presidencial para o caso e confirmou o ministro da Economia Cespedes como único intermediário do governo. A imprensa científica internacional destaca o fenômeno da “Maré Vermelha” como a maior reprodução de algas nocivas na história da América do Sul e a segunda mais grave do mundo.
(CE) (Agência Fides, 13/05/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network