AMÉRICA/VENEZUELA - A crise piora, primeiras tentativas de deixar o país rumo às Antilhas holandesas

Sexta, 13 Maio 2016 política   refugiados   áreas de crise  

Imigrantes da Venezuela em Curaçao

Willemstad (Agência Fides) - Angel Ramirez, Presidente da Cruz Vermelha de Curaçao, o maior arquipélago das Antilhas holandesas, localizado em frente da Venezuela, disse que estão se preparando para receber na ilha mais refugiados venezuelanos, depois de um primeiro grupo que já chegou. "Recentemente, tem havido muita atenção nos meios de comunicação locais sobre esta questão. Em particular sobre a questão dos requerentes de asilo, refugiados e imigrantes (…). Em forma discreta, trabalhamos sobre isso, embora não faça parte da nossa responsabilidade específica, mas trabalhar como Cruz vermelha também significa dar assistência e procurar levantar fundos", disse Ramirez ao portal web de Curaçao Chronicle.
De acordo com o responsável da Cruz Vermelha, uma vez que a crise na Venezuela continua a deteriorar-se "não devemos nos espantar" se os venezuelanos tentam emigrar para Curaçao, embora aqui "não tenham a possibilidade ajudar a todos".
A nota enviada à Fides por uma fonte católica local observa a difícil situação em que o país vive, tanto que algum grupo tentou deixá-lo com qualquer meio: a imprensa noticiou que o corpo de um venezuelano foi encontrado nas praias de Aruba, outra ilha diante da Venezuela, que teria morrido na tentativa de chegar a esta localidade com uma embarcação.
Enquanto isso, na Venezuela se verificaram violentos confrontos da população em busca de alimentos. Anteontem, no mercado de Maracay, capital do Estado de Aragua, a multidão saqueou os armazéns quando foi anunciado que não havia mais mercadoria disponível e a Guarda nacional bolivariana teve que intervir com o apoio de meios blindados.
(CE) (Agência Fides, 13/05/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network