ÁSIA/PAQUISTÃO - Extremistas ameaçam cristãos depois de um caso de blasfêmia em Punjab

Sexta, 13 Maio 2016 blasfêmia   violência   islã  

facebook

Lahore (Agência Fides) – “É um caso de abuso da lei da blasfêmia, onde há o risco de uma punição coletiva da comunidade cristã. Estamos preocupados, pedimos às autoridades que garantam a paz e esperamos que não haja gestos violentos ou consequências negativas para os cristãos”: assim, o Arcebispo de Lahore, Sebastian Shaw, fala à Agência Fides de um caso levado à sua atenção e que interessa o distrito de Mandi Bahauddinin, no Punjab paquistanês. Alguns líderes islâmicos emitiram uma "fatwa" (decreto religioso) que pede a morte de um jovem cristão acusado de blasfêmia. O incidente ocorreu em uma aldeia perto da área de Bosaan e foi denunciado na delegacia de Gojra. Na área, existem 4.000 famílias muçulmanas e apenas 45 cristãs, com cerca de 300 fiéis.
Alguns extremistas acusaram o jovem Imran Masih de cometer gestos blasfemos. O jovem tinha em seu celular vídeos de um pastor cristão crítico em relação ao Islã. Alguns colegas dele, que viram os vídeos, o acusaram de ver e difundir material blasfemo e o denunciaram ao clero islâmico local, que emitiu a fatwa e apresentou a denúncia de blasfêmia. Imran fugiu para salvar-se. Os extremistas pedem que ele seja entregue para podê-lo queimar diante da igreja. Caso contrário, ameaçam vingar-se com todos os cristãos da área, incendiando e destruindo as casas de cristãos da aldeia. Dentre os fiéis há grande medo e insegurança. Líderes locais se dirigiram às autoridades pedindo proteção a fim de evitar violências ou represálias da multidão. Atualmente, em um clima de forte tensão, o governo deslocou um contingente da polícia à aldeia para prevenir a violência. (PA) (Agência Fides 13/5/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network