ÁFRICA/SENEGAL - Crise entre Gâmbia e Senegal: o Arcebispo de Dacar convida à pacificação

Quinta, 12 Maio 2016 bispos  

Dacar (Agência Fides) – Em uma celebração pelos 50 anos do Dia Mundial das Comunicações Sociais e pelo Dia da África, domingo, 8 de maio, o Arcebispo de Dacar, Dom Benjamin Ndiaye, convidou os fiéis a rezar pela pacificação entre Senegal e Gâmbia. A tensão entre Banjul e Dacar começou quando os caminhoneiros senegaleses se recusaram a transportar mercadorias à Gâmbia, depois que o governo deste país aumentou de 4.000 Franchi CFA para 400.000 a tarifa para os meios que atravessam seu território.
A Gâmbia é um pequeno país que divide horizontalmente o Senegal em dois terços. Para os caminhoneiros senegaleses era conveniente atravessá-la para ir de uma parte à outra do Senegal. Obrigados a evitar a Trans-gambiana, os caminhões senegaleses devem agora percorrer uma estrada muito mais longa, passando por Tambacounda, Vélingara e Kolda para chegarem a Casamance.
Com a interdição dos transportes, as mercadorias destinadas à Gâmbia, inclusive produtos alimentares, estão paradas.
O governo de Banjul acusou Dacar de instituir um bloqueio comercial e apresentou denúncia à Comunidade Econômica e de Desenvolvimento da África Ocidental (CEDEAO). Depois de enviar uma comissão de investigação aos dois países, a Comunidade rechaçou as acusações da Gâmbia, definindo-as sem fundamento. O Presidente senegalês Macky Sall recusou a proposta de mediação feita pelo Presidente da Guiné, Alpha Condé, afirmando que a crise foi provocada pelo regime do Presidente gambiano, Yahya Jammeh. (L.M.) (Agência Fides 12/5/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network