ÁFRICA/RD CONGO - “Não há mercenários em minha diocese” afirma o Bispo de Kilwa-Kasenga

Quinta, 12 Maio 2016 eleições   grupos armados   bispos  

Kinshasa (Agência Fides) - “Não existem campos de treinamento nem mercenários no território de minha diocese de Kasenga”. É formal o Bispo de Kilwa-Kasenga, Fulgence Muteba Mugalu, na ex-província de Katanga, sul da República Democrática do Congo, ao desmentir as acusações da justiça congolesa segundo as quais, o ex-governador de Katanga e principal candidato da oposição nas próximas eleições presidenciais, Moïse Katumbi, teria recrutado mercenários para desestabilizar o país (veja Fides 10/5/2016).
“As acusações sobre a presença de mercenários em minha diocese são inverídicas”, disse Dom Muteba em entrevista televisiva.
Em outra entrevista, publicada pela mídia impressa e cujo texto foi recebido pela Fides, o Bispo de Kilwa-Kasenga afirma: “pelo que sei, não há estrangeiros em Pweto, nem em Kilwa e em Kashobwe. Os únicos estrangeiros que vejo são os agentes florestais que devastam nossa floresta. Nunca hospedei estrangeiros, nem Rambo, nem Ninja ou militares sul-africanos”.
“Toda vez que surge um problema de segurança, sabemos assinalar a quem se deve”, prosseguiu Dom Muteba. “Temos muitos soldados espalhados e nunca ouvimos falar de um atrito entre os nossos soldados e estes presumíveis milicianos. É uma estória inventada, uma espécie de legenda”.
Entretanto, a Corte Constitucional estabeleceu que o atual Presidente, Joseph Kabila, permanecerá no cargo também além do fim de seu mandato, em 19 de dezembro, caso as eleições forem adiadas. A data do voto ainda não foi estabelecida e a oposição teme que Kabila consiga prolongar seu mandato bem além da data final. (L.M.) (Agência Fides 12/5/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network