ÁSIA/PAQUISTÃO - Menino cristão de dois anos assassinado por um muçulmano

Quarta, 11 Maio 2016 islã   violência   minorias religiosas  

The Voice

Samsoon Masih mostra a foto do filho assassinado

Faisalabad (Agência Fides) – Este é um dos casos em que o status social mais alto e a riqueza se transformam em prepotência e arbítrio contra os mais frágeis e vulneráveis. Um rico proprietário de terras, com muitos empregados cristãos – expressão de faixas sociais mais pobres e desfavorecidas – matou um menino cristão de dois anos e meio. Como apurado pela Fides, o pequeno Ayaan foi morto em 13 de maio passado no distrito cristão de Nazimabad, a Faisalabad. Sua família foi contatada pela organização “The Voice”, que trabalha com a tutela legal e assistência de minorias, que apresentou queixa à polícia local.
Haji Rasheed, o homicida, estipulou um acordo com o cristão Samsoon Masih, operário, pai de Ayaan, para pintar a sua casa. Samsoon, antes de terminar a obra, pediu o pagamento concordado, que lhe foi negado.
Depois da controvérsia, Samsoon disse que não trabalharia mais na casa de Rasheed, que em seguida, com o filho Bahsrat, invadiu a casa do cristão, iniciando a atirar de modo indiscriminado. Samsoon Masih e seu pai Ishaq Masih ficaram feridos, enquanto o filho menor Ayaan, alcançado por um tiro na cabeça, morreu na hora. Após a queixa, os dois muçulmanos foram detidos pela polícia, que abriu um inquérito.
A advogada Aneeqa Maria Anthony, coordenadora de “The Voice”, comenta à Fides: “Estamos desolados. Uma criança inocente de dois anos e meio morta por causa de um mesquinho contrato para a pintura de uma casa. É desumano. O governo paquistanês deveria ajudar a desenvolver na sociedade o sentimento de tolerância e igualdade. Os muçulmanos não devem considerar os membros de outras religiões como insetos ou animais e podê-los matar impunemente. Faremos o máximo para obter justiça”. (PA) (Agência Fides 11/5/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network