ÁSIA/IRAQUE - Os Peshmerga e os ataques da coalizão rechaçam os jihadistas para fora da aldeia de Telskuf

Quarta, 4 Maio 2016 guerras  

ankawa.com

Telskuf (Agência Fides) – Durou poucas horas o ataque de cerca de 150 jihadistas do autoproclamado Estado Islâmico (Daesh) que no dia de ontem, 3 de maio, atacaram Telskuf, cidade da Planície de Nínive aonde antes de agosto de 2014 viviam cerca de 12 mil cristãos. As milícias curdas Peshmerga, auxiliadas pelos ataques aéreas da coalizão internacional anti-Daesh liderada pelos EUA, retomaram já na mesma terça-feira o controle da cidade, aparentemente desabitada. Os confrontos entre as milícias curdas e os afiliados ao Daesh promoveram diversas vítimas de ambos os lados. Pelo menos três soldados Peshmerga morreram. Um comunicado da coalizão liderada pelos EUA, divulgado por fontes curdas consultadas pela Agência Fides, informa que também um soldado estadunidense morreu nos atritos com o Daesh ocorridos no distrito de Telskuf.
O ataque jihadista em Telskuf foi parte do amplo ataque tentado pelos milicianos do Daesh para abrir passagens nas áreas do norte do Iraque presidiadas pelos Peshmerga, depois que as forças armadas curdas obtiveram importantes sucessos nos confrontos com os jihadistas, reconquistando importantes aldeias na área de Kirkuk.
Atualmente, Telskuf é uma cidade fantasma. Os seus habitantes a abandonaram em massa na noite de 6 e 7 de agosto de 2014, quando milhares de cristãos dos povoados da Planície de Nínive fugiram diante da avançada das milícias do Estado Islâmico. Os jihadistas se retiraram de Telskuf nos meses sucessivos, mas a cidade permenaceu deserta, e as famílias cristãs voltaram somente para celebrar os funerais e sepultar os seus mortos no cemitério. Uma parte dos cidadãos que fugiu de Telskuf se refugiou na vizinha cidade de Alqosh. (GV) (Agência Fides 4/5/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network