AMÉRICA/NICARÁGUA - Aumentam assassinatos por parte do exército, a população vive no terror

Quarta, 4 Maio 2016 bispos   violência   grupos armados   política  

internet

Exército nicaraguense

Matagalpa (Agência Fides) – Deplorando o assassinato de Enrique Aguinaga Castrillo, conhecido como "Comandante Invisível" – ocorrido sábado passado, 30 de abril – e considerando que a militarização das áreas rurais do país não está surtindo efeitos positivos, o Bispo de Matagalpa, Dom Rolando José Alvarez Lagos, exortou a acabar com os crimes contra os civis, sobretudo no norte do país. "As pessoas vivem aterrorizadas… portanto, é importante desmilitarizar a área e acabar com todo tipo de crime contra os civis", pediu o Bispo.
Na manhã de 3 de maio, Dom Alvarez Lagos celebrou a missa na paróquia de Nosso Senhor de Veracruz, na comunidade de El Cacao, município de Dario, e lamentou o homicídio de Aguinaga diante da imprensa local. Segundo a mídia, Aguinaga foi um dos nicaraguenses que pediu asilo político em Honduras em 2013 e, na sequência, regressou para a Nicarágua como líder de um grupo supostamente armado, contrário ao governo inconstitucional de Daniel Ortega.
De acordo com a versão do exército, os soldados mataram “um delinquente”, enquanto a família de Aguinaga afirma que ele foi selvagemente assassinado durante uma emboscada, perfurado por tiros. A propósito, Dom Alvarez comentou que "todo crime cometido contra seres humanos, contra civis que se encontram indefesos, é totalmente deplorável. Considerando também a brutalidade e a ferocidade com que foi cometido, é ainda mais deplorável e execrável ".
(CE) (Agência Fides, 04/05/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network