ÁFRICA/ÁFRICA DO SUL - “O desemprego juvenil é uma bomba social pronta para explodir” adverte “Justiça e Paz”

Terça, 3 Maio 2016 economia  

Johannesburg (Agência Fides) - “O desemprego juvenil continua a representar um perigo para a segurança de nossa nação e a estabilidade da vida de nossa família. É uma bomba-relógio que rapidamente explodirá entre nós”, afirma Dom Abel Gabuza, Bispo de Kimberley e Presidente da Comissão “Justiça e Paz” da Southern African Catholic Bishops’ Conference (SACBC), em declaração por ocasião do dia 1º de maio.
Dom Gabuza pede ao governo soluções “urgentes e concretas” e em especial, para rever a política dos subsídios salariais para jovens, que deveriam incentivar a sua assunção. “Dados recentes sobre o desemprego juvenil indicam que os subsídios salariais para jovens não foram capazes de erradicá-la. Não obstante o esquema dos subsídios, os jovens sem trabalho aumentaram de 3,14 milhões em 2009 para 3,38 milhões de hoje”, afirma o Presidente da Comissão Justiça e Paz, na declaração recebida pela Agência Fides.
O programa de subsídios, iniciado em 2014 e que deveria se concluir até dezembro de 2016, foi prolongado por um outro ano. Segundo Dom Gabuza, isto não foi suficiente para criar novos empregos, porque “até o fim de dezembro deste ano, supõe-se que o programa crie 423.000 novas vagas. Mesmo se conseguisse alcançar este objetivo, estaria muito abaixo das 3,2 milhões de oportunidades de trabalho para os jovens de que o país necessita”.
“Justiça e Paz” considera ainda que os sul-africanos deveriam estar preocupados porque “a realidade do desemprego juvenil em nosso país é sinônimo de um problema mais profundo, de um capitalismo sem freios que gerou uma crise econômica global, que os próprios capitalistas não conseguem resolver”.
Dom Gabuza conclui advertindo que “em um mundo em que a dignidade do trabalho está subordinada ao lucro, criamos uma sociedade do descarte na qual se perde o profundo respeito pela dignidade do trabalho e onde a juventude e os idosos são reduzidos a custos de produção que podem facilmente ser eliminados, se necessário”. (L.M.) (Agência Fides 3/5/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network