AMÉRICA/COLÔMBIA - “Acompanhar o diálogo com o ELN”: a Igreja pela paz e pela libertação dos sequestrados

Segunda, 2 Maio 2016 política   grupos armados   conferências episcopais   igrejas locais  

Dom Luis Augusto Castro Quiroga

Rionegro (Agência Fides) – "A nós chegou o pedido para acompanharmos o diálogo, portanto estaremos presentes para moderar os colóquios. Espera-se que isso possa servir a torná-los mais eficazes e nos leve mais velozmente à paz":
assim, Dom Luis Augusto Castro Quiroga, IMC, Arcebispo de Tunja e Presidente da Conferência Episcopal, comentou o pedido enviado à Igreja colombiana pelo ELN. Segundo informações enviadas a Fides, o arcebispo se manifestou no final de seu discurso no fórum sobre pós-conflito “Impactos Sociales y Empresariales”, realizado em Rionegro no final da semana passada, que contou com a participação de várias autoridades do governo local e nacional, além de alguns diplomatas dos países que se ofereceram como mediadores para a paz entre os grupos guerrilheiros e o Governo colombiano.
Dom Castro Quiroga fez um apelo ao ELN para “libertar todos os reféns e não pedir nem mesmo um centavo”, recordando que é uma das condições do Governo para iniciar os colóquios com o ELN. Infelizmente, ontem, o ELN afirmou não manter sob sequestro Melisa Trillos e nem o dirigente camponês Henry Perez, e isso causou mais preocupação nas respectivas famílias que não têm informações sobre seu estado de saúde e agora nem sobre o grupo sequestrador.
Depois disso, Dom Gabriel Angel Villa Vahos, Bispo de Ocaña, pediu ontem publicamente a libertação de Melisa Trillos, sequestrada duas semanas atrás. O Bispo pediu aos sequestradores para dar provas certas de que Melisa está viva e respeitar a sua vida a fim de que possa voltar para a sua família. (CE) (Agência Fides, 02/05/2016)



Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network