AMÉRICA/VENEZUELA - “Ser cidadãos pacíficos, mas ativos”: os Bispos sobre a grave situação do país

Quinta, 28 Abril 2016 igrejas locais   conferências episcopais   áreas de crise   política  

Situação social na Venezuela

Caracas (Agência Fides) – "Nunca como agora os venezuelanos sofreram a falta extrema de produtos de primeira necessidade, como alimentos e remédios, além de outros males como a delinquência criminosa e desumana, o racionamento de energia elétrica e água e a corrupção profunda em todos os níveis de governo e da sociedade”: assim tem início o comunicado da Conferência Episcopal Venezuelana, que se expressa diante da terrível crise econômica e política que o país vive.
O texto, enviado à Fides, afirma: “Queremos alertar as pessoas para não serem manipuladas por quem oferece mudanças na situação com a violência social. Não se pode também ficar acomodados ou silenciar diante de ameaças. Não devemos ser nunca cidadãos passivos e conformistas, mas protagonistas de nossa realidade... pacíficos, mas ativos, e portanto, temos que agir como protagonistas das transformações de nossa história e de nossa cultura”.
Os Bispos se dirigem às autoridades, pedindo-lhes que “escutem com respeito a voz do povo” e aos responsáveis pela violência social dizem: “Advertimos também quem se aproveita desta situação e explora as necessidades dos outros; isto é um crime e um pecado mortal!”.
“Para preservar uma convivência saudável - continua o comunicado - denunciamos e condenamos os terríveis casos de linchamento perpetrados em algumas cidades” (veja Fides 12/04/2016).
Em relação à difícil situação de lacerante divisão política, a Conferência Episcopal afirma: “As autoridades públicas devem se respeitar mutuamente e trabalhar em favor da nação. O Executivo e a Assembleia nacional são chamados a dar ao povo um exemplo de ‘encontro e diálogo’ em favor da convivência nacional”.
Na conclusão do documento, os Bispos venezuelanos convidam “todos na Igreja, dioceses, paróquias, institutos religiosos, associações e grupos de apostolado, institutos educativos católicos, e grupos de reflexão” a colocar urgentemente a palavra caridade em primeiro lugar”.
(CE) (Agência Fides, 28/04/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network