AMÉRICA/EQUADOR - O terremoto causa dificuldades extremas às pessoas com deficiência

Segunda, 25 Abril 2016 catástrofes naturais  

CBM Italia Onlus

Quito (Agência Fides) - Continua aumentando o balanço das vítimas do terremoto que uma semana atrás devastou o Equador: mais de 710 mortos e desaparecidos e cerca de 16.600 feridos, alguns dos quais ainda em condições graves. O balanço é sempre mais grave. Foi o que referiu o Secretariado Nacional para a Gestão de Risco. O Governo decretou o estado de emergência em seis províncias: Esmeraldas, Manabí, Santa Elena, Guayas, Santo Domingo e Los Ríos. Faltam água, alimentos e bens de primeira necessidade. Nas emergências, o índice de mortalidade das pessoas com deficiência é o dobro em relação ao restante da população. As razões se encontram na dificuldade ou impossibilidade de aceder aos avisos de emergência, aos refúgios, na perda ou no dano dos itens que lhes permitem a locomoção (como bengalas, cadeiras de roda etc...) e na dificuldade de ter acesso às ajudas humanitárias de base. Entre as iniciativas em favor dos mais vulneráveis atingidos por esta calamidade, se mobilizou a ong CBM Itália, que entrou em contato com os seus parceiros locais. Desde o dia do terremoto, os agentes de CBM estão trabalhando para permitir que as pessoas com deficiência e suas famílias, mas também idosos e outras categorias vulneráveis, recebam água, alimentos, remédios, refúgio e auxílios para locomoção. “Em especial, na província de Esmeraldas o nosso parceiro OVCI Nostra Famiglia, que trabalha em estreito contato com o Governo, se ocupa da produção e importação desses objetos, como cadeiras de roda e muletas. Nessas horas, os agentes estão trabalhando para distribuir água e kits de primeira necessidade”, se lê no comunicado enviado à Agência Fides por CBM.
(AP) (25/4/2016 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network