ÁSIA/FILIPINAS - Camponeses mortos pela polícia: a Igreja condena a violência

Segunda, 4 Abril 2016 igrejas locais   violência  

IRRI - CC

Manila (Agência Fides) – “Uma morte é sempre trágica, ainda mais quando é uma morte violenta. Rezemos por nossos camponeses de Kidapawan: que possam encontrar paz e felicidade no céu. A polícia tem o dever de preservar a paz, proteger os fracos e servi-los na justiça”: foi o que declarou o Arcebispo Socrates Villegas, Presidente da Conferência Episcopal das Filipinas, condenando a violência ocorrida na localidade de Kidapawan City, na ilha de Mindanao, durante uma manifestação de agricultores.
Dois agricultores foram mortos e dezenas ficaram feridos no dia 1º de abril, quando as forças policiais abriram fogo para dispersar os manifestantes. A Polícia informou que 40 agentes foram feridos e dois estão em “condições críticas”.
Milhares de camponeses, em maioria lumads (indígenas locais) haviam interditado, por três dias, a rodovia que une Davao a Cotabato, pedindo subsídios e ajuda, pois se encontram em condição de pobreza extrema.
A Igreja condenou a violência, fazendo votos que o problema seja resolvido imediatamente, apelando ao Estado para que garanta subsídios e às famílias das vítimas para que desistam de seus propósitos de vingança.
Os camponeses foram prejudicados inicialmente por tufões e enchentes e em seguida, por uma forte seca; estão exasperados, não podendo mais garantir a subsistência de suas famílias. Pedem ajudas alimentares até que possam recomeçar a semear. Também pedem sementes gratuitas, a fim de substituir as antigas culturas, já perdidas. Os líderes das Igrejas locais deploram a violência e pedem uma solução “justa e pacífica”, recordando que estes pobres agricultores foram abandonados pelo governo. (PA) (Agência Fides 4/4/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network