ÁFRICA/QUÊNIA - Líderes religiosos denunciam a formação de milícias “que semeiam a violência” em vista das eleições

Sexta, 1 Abril 2016

Nairóbi (Agência Fides) -“Fazemos um apelo a todos os políticos, com seus interesses consolidados, para que parem de transformar as eleições numa questão de vida e de morte para os quenianos”, afirmam os líderes religiosos do Quênia, numa declaração sobre a preparação das próximas eleições gerais de 2017, enviada a Fides. “É imoral e criminoso para todos aqueles que buscam um cargo aceitar que os quenianos possam morrer ou ser mutilados somente para satisfazer suas ambições políticas”, continua a declaração do Inter-Religious Council of Kenya. A este organismo adere a Conferência Episcopal do Quênia, além de diversas outras confissões cristãs, muçulmanas e hinduístas do país.
Os líderes religiosos denunciam ainda a criação de milícias em vista das eleições: “Estamos particularmente preocupados com o fato de que políticos e aspirantes a vários níveis estejam criando milícias, cuja única intenção é levar a violência aos quenianos. Tudo isso deve ser detido imediatamente. Pregar e praticar a paz ao invés de criar estruturas de violência”, exortam os líderes religiosos.
Além disso, a mídia tradicional não deve seguir a propaganda étnica e tribal difundida nos meios de comunicação sociais por parte de políticos sem escrúpulos.
A declaração pede ainda que a Comissão eleitoral independente (IEBC) assuma suas responsabilidades, convidando-a em especial a estabelecer um registro claro dos eleitores e a verificar o correto funcionamento dos dispositivos eletrônicos que serão usados nas urnas eleitorais, já que os que foram usados nas eleições precedentes “faliram clamorosamente”. (L.M.) (Agência Fides 1/4/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network