ÁSIA/CINGAPURA - Mufti de Cingapura ao Arcebispo: “A tragédia de Lahore é contrária ao Islã”

Quinta, 31 Março 2016 islã   terrorismo   violência   diálogo   paz  

Straits Times

Cingapura (Agência Fides) - O atentado terrorista de Lahore, que afetou os civis sem distinção, “não é somente algo contra os ensinamentos islâmicos, mas é um ataque contra toda a humanidade.” Foi o que disse o maior líder muçulmano de Cingapura, o mufti Mohamed Fatris Bakaram, numa carta de condolências enviada ao arcebispo católico da cidade, Dom William Goh.
A carta, enviada à Fides, condena o ato criminoso que causou 73 mortos e mais de 300 feridos em Lahore, no dia de Páscoa, afirmando: “Condenamos com veemência o atentado em Lahore e expressamos os nossos sentimentos às famílias de todas as vítimas. Devemos nos unir para afirmar a nossa repulsa a tais atos desumanos”. O mufti especifica que “no Islã é injustificável atacar outro ser humano somente porque professa uma fé diferente”, recordando que o ataque é “um ato desumano e uma afronta contra as pessoas que creem nos valores da compaixão e da coexistência pacífica”. Trata-se de “uma grave falta contra a paz inter-religiosa e a harmonia promovidas pelo Islã”.
No mesmo dia, o Conselho Religioso Islâmico de Cingapura condenou os ataques de violência perpetrados em nome do Islã em todo o mundo, incluindo os ataque em Istambul, Jacarta, Síria, Ankara, Bruxelas, assim como em Lahore. “Estamos tristes e indignados com tanta crueldade”, afirmou o conselho. “Junto com todos os muçulmanos e a todos os habitantes de Cingapura manifestamos proximidade e solidariedade às famílias de todas as vítimas dessas tragédias sem sentido”, escreveu o conselho num comunicado. (PA) (Agência Fides 31/3/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network