ÁFRICA/SUDÃO - Más condições de higiene e superlotação favorecem as doenças nos campos de refugiados no norte de Darfur

Quarta, 23 Março 2016 saúde  

UNAMID

Sortony (Agência Fides) - Os serviços de água e saneamento nos campos do norte de Darfur não são capazes de atender às necessidades das pessoas deslocadas que fogem dos combates em Jebel Marra. De acordo com dados das Nações Unidas, trata-se de mais de 100 mil pessoas que chegaram apenas esta semana. Dentre as conseqüências da superlotação e da precariedade da água está se espalhando uma epidemia de conjuntivite entre as crianças, em particular nos refugiados no campo de Kabkabiya, que não possuem medicamentos e cuidados médicos. Um ativista disse à emissora Radio Dabanga que a infecção surgiu há uma semana. Não há estruturas de saúde e as pessoas, para serem curadas, são obrigadas a ir ao hospital local das United Nations–African Union Mission in Darfur (UNAMID). "Os médicos são capazes de atender apenas 15 pacientes por dia, incluindo todos os doentes que chegam ali", disse a fonte.
No hospital das UNAMID, em Sortony, no sul da cidade de Kabkabiya, mais de 60 mil novos deslocados de Jebel Marra continuam adoecendo com a consequente proliferação de vírus e bactérias. O Escritório das Nações Unidas para a Coordenação de Assuntos Humanitários (OCHA) relatou que, em Sortony, o abastecimento de água continua sendo o principal desafio. Atualmente, o número total de novos refugiados de Jebel Marra é 110.273, dos quais cerca de 95% encontraram abrigo nos campos de refugiados no norte de Darfur. Sortony continua sendo o maior receptor de pessoas deslocadas, até agora foram relatados 62.192. Outros 36 mil encontraram refúgio no campo de Tawila, e cerca de 3 mil em Kabkabiya. (AP) (23/3/2016 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network