ÁFRICA/EGITO - O Ministro da justiça promete “uma solução” para os estudantes coptas condenados por ofensa ao islã

Terça, 8 Março 2016 justiça  

Minya (Agência Fides) – O ministério da justiça egípcio estudará de modo mais profundo o episódio dos estudantes coptas condenados a cinco anos de prisão pelo crime de ofensa ao islã e vai tentar uma solução que não arruíne a vida dos jovens e, que ao mesmo tempo, não reacenda os conflitos sectários da área de Minya. Foi o que informou o Ministro da justiça, Ahmed al-Zind, conhecido por seu antagonismo contra grupos islâmicos. Nos últimos dias – informa o site Copts United – alguns parlamentares encontraram o Ministro pedindo que permitisse aos jovens ao menos terminar seus estudos, e assim, não comprometer seu futuro.
O episódio submetido à atenção do Ministro se refere a quatro jovens coptas acusados de ofensa à religião islâmica por terem difundido, na primavera de 2015, um vídeo de poucos segundos rodado com um celular, em que recitavam a cena do degolamento de um muçulmano ajoelhado rezando, uma alusão às horrendas execuções perpetradas pelos jihadistas do Estado islâmico (Daesh). Em fins de fevereiro, o tribunal egípcio de Minya emitiu uma dura condenação contra os jovens: três deles foram condenados a cinco anos de cárcere, enquanto o quarto, menor de idade, será enviado a uma residência controlada para menores. Entretanto, uma associação copta (veja Fides 1/3/2016) já fez um apelo ao Presidente egípcio Abdel Fattah al Sisi pedindo-lhe para intervir no caso, concedendo a anistia aos adolescentes condenados. (GV) (Agência Fides 8/3/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network