ÁFRICA/RD CONGO - Polêmicas pela “oração nacional” convocada pelo governo. A Igreja católica não participa

Sábado, 5 Março 2016 política   oração  

Kinshasa (Agência Fides)- Depois de pedir à Igreja Católica na República Democrática do Congo para renunciar à manifestação de 16 de fevereiro (veja Fides 16/2/2016), a maioria dos aliados do Presidente Joseph Kabila organizou uma “oração nacional” pela paz no país, a se realizar na noite de 5 de março, no Estádio dos Mártires da capital, Kinshasa.
A Igreja Católica não participa da “oração nacional”. Os partidos da oposição, reunidos na sigla “G7”, expressaram sua perplexidade sobre a iniciativa do governo, que nos últimos meses, por razões ‘de segurança’ vetou manifestações públicas como a de 16 de fevereiro, organizada pela Igreja Católica em recordação da repressão violenta da ‘marcha dos cristãos’ convocada pela Igreja Católica em 16 de fevereiro de 1992, no então Zaire de Mobutu Sese Seko, para pedir uma abertura democrática. O governo se opôs também ao apelo feito por Moïse Katumbi, governador de Katanga e candidato nas próximas eleições presidenciais, de convocar uma oração cotidiana pela paz na RDC.
A oposição vê na iniciativa do governo uma tentativa de cooptar as diferentes Igrejas do país no esforço para adiar as eleições presidenciais e prolongar o mandato do Presidente Kabila. As eleições presidenciais e políticas ainda não estão marcadas (veja Fides 2/3/2016), enquanto a tensão é alta no país, pois há o temor que o Presidente tente mudar a Constituição para obter um terceiro mandato. (L.M.) (Agência Fides 5/3/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network