AMÉRICA/HONDURAS - Assassinada a líder ambientalista Berta Caceres, depois de dez anos de ameaças

Sexta, 4 Março 2016 política   direitos humanos   mulher   meio ambiente  

A ambientalista Berta Caceres diante do Papa Francisco

La Esperanza (Agência Fides) - A líder ambientalista Berta Caceres, muito conhecida em Honduras, foi assassinada na madrugada de quinta-feira, 3 de março, em La Esperanza, a cerca de 200 quilômetros de Tegucigalpa, na parte ocidental do país. Caceres era líder da comunidade indígena Lenca e uma personalidade de destaque na defesa dos direitos humanos. Segundo fontes locais, os assassinos entraram violentaente em sua casa para cometer o crime, não obstante a Polícia fale de tentativa de roubo.
“Todos nós sabemos que foi por causa de sua luta”, disseram os membros de sua família. Berta Caceres recebia ameaças de morte há dez anos. Desde que, com o Conselho dos povos indígenas de Honduras (Copinh) por ela fundada, coordenou a batalha dos Lenca contra a maxi-diga de Agua Zarca no rio Gualcarque. Em outubro de 2014, participou do encontro dos movimentos populares convocado pelo Papa Francisco no Vaticano, onde tomou a palavra diante do Pontífice, destacando a beleza da criação e a necessidade de cuidar dela.
Sempre denunciou a perseguição dos ambientalistas em Honduras e no restante da América Latina. Segundo o último relatório do organismo internacional Global Witness relativo ao ano de 2014, o Brasil contava 29 homicídios, seguido por Colômbia com 25, Honduras em terceiro lugar com 12 homicídios. Além disso, no Peru nove ativistas foram assassinados, cinco na Guatemala, três no Paraguai, e um no Equador e na Costa Rica. 40% das vítimas pertencem a uma população indígena.
O total dos ambientalistas assassinados (116 pessoas) é o dobro em relação ao dos jornalistas assassinados.
(CE) (Agência Fides, 04/03/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network