http://www.fides.org

Africa

2003-10-10

ÁFRICA/SENEGAL - OS SEPARATISTAS DE CASAMANCE: “VAMOS PÔR FIM À GUERRA”. A PAZ SE APROXIMA, MAS È PRECISO AGUARDAR AS CONCLUSÕES DA COMISSÃO DE RECONCILIAÇÃO

Dacar (Agência Fides)- Depois de 21 anos de guerra, finalmente chegou ao fim a guerra separatista de Casamance, uma região no sul do Senegal que fica entre Gâmbia e Guiné-Bissau. O anúncio foi feito por Jean-Marie François Biagui, Secretário-geral do Movimento das Forças Democráticas de (MFDC) durante a reunião do movimento que acaba de se concluir em Ziguinchor, capital da região: “A guerra foi definitivamente concluída”, declarou ele diante de centenas de delegados do grupo separatista. O presidente e fundador do MFDC, Diamacoune Senghor, declarou que, de sua parte, “a partir de agora a luta do MFDC será contra todos os inimigos da paz de Casamance, de modo que todos possam encontrar a paz definitiva”. O líder histórico do movimento não pronunciou nenhuma vez a palavra “independência” durante seu discurso. Jean-Marie François Biagui reiterou, porém, que a luta conduzida pelo MFDC para a emancipação social, econômica, política e cultural da região é mais legítima do que nunca. “Trata-se de um desenvolvimento importante porque é uma etapa sucessiva no processo de amadurecimento político do movimento”, disse à Agência Fides um observador político local. “O governo ficou satisfeito com o fim da guerra, mesmo que não tenha divulgado nenhum comunicado oficial, porque o acordo de paz deve ser estipulado no âmbito da Comissão de Reconciliação, onde estão representadas todas as partes em causa: governo, separatistas e representantes da sociedade civil.”
Os membros mais radicais do MFDC deserdaram a assembléia e afirmaram que não vão respeitar a nova linha política decidida pela direção do movimento. O risco é que uma eventual crise no interior do MFDC impeça o fim da guerra. “Depois do assassinato do líder da ala militar do MFDC, o movimento se dividiu, e alguns membros insistem em uma posição extremista”, confirmam as fontes da Fides. “Ou seja, para se falar de paz é preciso aguardar que a Comissão de Reconciliação conclua os seus trabalhos.”
A guerra pela secessão de Casamance explodiu em 1982 e provocou a morte de centenas de pessoas e deixou milhares de desabrigados. A região é uma das mais férteis do Senegal, onde vivem diversas etnias e credos religiosos: muçulmanos, cristãos e animistas. (L.M.) (Agência Fides 10/10/2003 linhas 32 parole 388)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network