ÁSIA/PAQUISTÃO - Paul Bhatti: reestabelecer o Ministério das Minorias, recordando Shahbaz

Quinta, 25 Fevereiro 2016 blasfêmia   minorias religiosas   diálogo  

Paul Bhatti

Islamabad (Agência Fides) – Reestabelecer no Paquistão o Ministério das Minorias, organismo que represente, em nível federal, as minorias religiosas: esta é a proposta que Paul Bhatti lança por ocasião do 5º aniversário de morte de Shahbaz Bhatti, seu irmão, o ministro assassinato em Islamabad em 2 de março de 2011.
Falando com a Agência Fides, Paul Bhatti conta que a “Shahbaz Bhatti Trust Foundation” e a Igreja católica local estão organizando no Paquistão celebrações e manifestações para recordar a obra de seu irmão, em vista do aniversário de 2 de março. Na catedral de Islamabad será celebrada uma Santa Missa na noite de 1º de março, presidida pelo Bispo Rufin Anthony, e no dia 2, haverá uma conferência com uma cerimônia de comemoração, da qual tomarão parte Bispos católicos e de outras confissões, líderes muçulmanos, representantes civis provenientes de todo o Paquistão para honrar a memória de Shahbaz.
Bhatti recorda à Fides: “A nosso pedido, o ex-presidente Asif Ali Zardari criou o Ministério da Harmonia nacional, sucessivamente absorvido pelo Ministério de Assuntos Religiosos. Escreverei ao atual Primeiro-ministro Nawaz Sharif, exortando-o a restabelecer o Ministério encarregado das minorias”, disse. “Quando existia, – recorda Bhatti, que foi o último representante a dirigi-lo – o ministério desempenhava um papel precioso de mediação institucional e de diálogo entre todos os componentes da sociedade, para construir harmonia. Reconstitui-lo serviria também para melhorar a imagem do país no exterior”.
Paul Bhatti, que é também Presidente da “All Pakistan Minorities Alliance”, informou que com a APMA, organização antes presidida por seu irmão, vai se comprometer em pedir ao governo de remover os elementos discriminatórios existentes na Constituição e nas leis paquistanesas. Sobre o delicado tema da lei da blasfêmia Bhatti afirma: “Hoje existe mais sensibilidade política e alguns partidos, como o Partido Popular do Paquistão, falaram da necessidade de apresentar alterações na lei, buscando um consenso. Esperamos que estas propostas possam nos levar adiante, para evitar os abusos da lei que causam muito sofrimento e inocentes”.
(PA) (Agência Fides 25/2/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network