AMÉRICA/BOLÍVIA - “As diferenças políticas nunca devem ser resolvidas com a violência”. Seis mortos no município de El Alto

Quinta, 18 Fevereiro 2016 violência   bispos   política  

Manifestação em El Alto, Bolívia

El Alto (Agência Fides) – A Defensoria do Povo (escritório de direitos humanos) e a Igreja Católica pediram um inquérito transparente sobre o grave episódio ocorrido ontem, 17 de fevereiro, no município de El Alto. No final de uma manifestação convocada pelos pais que pediam maior atenção para as escolas de El Alto, da qual participaram também ativistas políticos, os manifestantes ultrapassaram o frágil cordão policial e invadiram a sede do município, incendiando-o e causando a morte por asfixia dos seus funcionários que estavam dentro e não conseguiram fugir.
A Defensoria do Povo expressou, em comunicado, “sua reprovação e indignação pelos gestos criminosos” que se verificaram e pediu um inquérito “urgente, transparente e completo”. Também expôs a sua solidariedade às famílias das vítimas e exigiu que sejam identificados os responsáveis “materiais ou intelectuais” do ocorrido, que devem receber uma punição “exemplar”. “Consideramos que deve haver um inquérito sobre as ações e decisões tomadas pela polícia boliviana para garantir a segurança e prevenir os atos de violência que se verificaram neste caso, como era de sua responsabilidade”, acrescenta o comunicado enviado à Fides.
O Bispo de El Alto, Dom Eugenio Scarpellini, enviou suas condolências às famílias das vítimas e disse: “hoje é um dia de grande luto para a democracia do país”. “As diferenças políticas, as diferenças ideológicas nunca podem ser resolvidas com a violência”. O caminho do diálogo, da boa convivência e do respeito pela vida humana são fundamentais”, afirmou Dom Scarpellini em declaração à mídia lida em conjunto com o prefeito de El Alto, representante da oposição, Soledad Chapeton. (CE) (Agência Fides, 18/02/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network