ÁSIA/TAILÂNDIA - “Chega de ingerência na administração budista”

Quarta, 17 Fevereiro 2016 direitos humanos  

ADB

Chiang Mai (Agência Fides) – “Está aumentando e assumindo tons inesperados a pressão de um grupo numeroso de monges budistas engajados para que o budismo seja incluído como religião de Estado no esboço da nova Constituição”. É o que conta à Agência Fides uma fonte local bem informada que não citamos por razões de segurança. “Nestes dias – continua – por ocasião de um curso de atualização em uma grande esplanada de Phutthamonthon, fora de Bangcoc, monges provenientes de várias províncias romperam o cordão de isolamento militar ao redor da área sacra para impedir o andamento do evento e, sobretudo, o seminário previsto, que tinha o significativo título “Chega de ingerência na administração budista”.
Nossa fonte declara ainda que o fator que desencadeou o protesto foi o último ‘stop’ do Governo ao recém-nomeado vigésimo Supremo Patriarca do Budismo tailandês. “A sua eleição não será oficializada até que sejam esclarecidos alguns aspectos sobre o envolvimento de Somdet Chuang, que tem mais de noventa anos, em escândalos econômicos do poderoso movimento Dhammakaya, liderado pela controversa figura carismática de Phra Dhammachayo. Os monges também solicitaram o Governo, atualmente liderado por uma junta militar, a proteger explicitamente os valores do budismo, em crise devido a críticas e escândalos. O Rei, que terá a última palavra sobre a Constituição e a nomeação do Patriarca Supremo, sempre defendeu e garantiu a liberdade de religião no reino tailandês”.
(AP) (17/2/2016 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network