ÁSIA/SRI LANKA - Igreja: justiça, caminho de reconciliação

Terça, 16 Fevereiro 2016 reconciliação   crimes de guerra  

Colombo (Agência Fides) – “Os passos da justiça são importantes para se obter uma autêntica reconciliação em Sri Lanka”: é o que afirma à Agência Fides pe. Cyril Gamini Fernando, responsável das comunicações sociais na arquidiocese de Colombo. “Não temos problemas com o envolvimento das Nações Unidas e esperamos que possa ajudar no processo de busca da verdade e da justiça em nosso país” nota o sacerdote, comentando a visita à ilha do Alto comissário ONU para direitos humanos, Zeid Ra’ad Al Hussein. O objetivo da visita do Comissário é verificar a aplicação da resolução da ONU sobre a promoção da reconciliação e dos direitos humanos no país.
“Temos confiança nas instituições judiciárias nacionais e pedíamos que sejam os tribunais locais a julgar eventuais crimes”, afirma pe. Fernando. Sobre o delicado tema dos “crimes de guerra” perpetrados pelo exército cingalês na última fase do conflito civil com a minoria tâmil, que durou mais de 30 anos, o país está dividido: de um lado, os ativistas da sociedade civil narram os sofrimentos da população tâmil e a impunidade dos autores dos massacres; do outro, grupos nacionalistas contestam a resolução da ONU e a intervenção de instituições “externas”.
Todavia, pe. Fernando está confiante. “Depois de trinta anos de conflito, agora se sente um clima de liberdade e não existe medo de manifestar opiniões diferentes. Acreditamos que a justiça seja o caminho importante como prelúdio de uma profunda reconciliação e para curar as feridas da guerra. Ainda há milhares de famílias desabrigadas no norte do país, que aguardam justiça e assistência. A Igreja está a seu lado e atua na reconciliação a partir de baixo”.
(PA) (Agência Fides 16/2/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network