AMÉRICA/BRASIL - São necessários até 15 anos para poder abrir uma rádio comunitária

Quarta, 3 Fevereiro 2016 mídia   violência   cooperação  

Rádios comunitárias enfrentam problemas em território brasileiro

São Paulo (Agência Fides) – Um relatório preparado pela organização “Artigo 19”, que tem como finalidade defender a liberdade de expressão das rádios comunitárias no Brasil, denuncia a criminalização que sofre atualmente a mídia neste país. A isso se acrescenta um dos maiores problemas que aflige as rádios comunitárias em território brasileiro: o atraso por parte das autoridades (Ministério das Comunicações) em analisar o pedido de abertura de uma nova emissora radiofônica e, portanto, em liberar as concessões. "Em alguns casos, a espera pode durar até 15 anos", observa o relatório. Além disso, é fornecido um dado consolidado: o governo investe pouco nas políticas públicas para expansão do setor.
Segundo a nota enviada a Fides, os dados do Ministério Público Federal mostram que de 1998 a 2005, a Anatel (Agência Nacional de Telecomunicações) fechou 2.466 emissoras comunitárias "não autorizadas" no Estado de São Paulo. No mesmo período, o Ministério das Comunicações concedeu permissões a somente 352 novas emissoras comunitárias. (CE) (Agência Fides, 03/02/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network