ÁSIA/TERRA SANTA - A Alta Corte de Israel rechaça os últimos recursos para impedir a construção do “Muro de Cremisan”

Segunda, 1 Fevereiro 2016

Beit Jala (Agência Fides) – A Alta Corte israelense rechaçou os últimos recursos apresentados para evitar a retomada da construção do “Muro de divisão” no Vale de Cremisan. Os recursos foram apresentados pelas religiosas do Convento salesiano situado na área interessada pelas obras, no município de Beit Jala e pelos proprietários palestinos dos terrenos agrícolas expropriados para erguer a barreira. É o que informa um comunicado divulgado pela Society of St.Yves, organismo engajado na defesa de direitos humanos e ligado ao Patriarcado latino de Jerusalém, que deu assistência às irmãs salesianas na apresentação do recurso.
A própria Corte – consta no comunicado, recebido pela Agência Fides – admitiu a possibilidade de apresentar recursos em relação a seu pronunciamento anterior, quando se expressou favoravelmente à continuação da construção da barreira de divisão. Seja as irmãs, como os proprietários, poderiam ter apelado em tutela de seus direitos de acesso às respectivas propriedades. A petição apresentada à Society of St.Yves em julho de 2015 pedia à Corte para dispor a prévia comunicação de todo o percurso no qual será construído o muro, antes de iniciar as obras. Desde agosto de 2015, o exército israelense recomeçou a reerguer o muro na área de Beir Onah, extirpando mais de 50 oliveiras centenárias. Agora, a Society of St. Yves adverte que também em sede legal os recursos para deter esta política foram rechaçados.

(GV) (Agência Fides 1/2/2016).


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network