ÁSIA/ISRAEL - Os judeus do grupo Mehir Tag homenageiam o cemitério profanado de Beit Jamal

Quarta, 27 Janeiro 2016 sectarismos  

lpj.org

Jerusalém (Agência Fides) - Um grupo de mais de sessenta judeus condenou e repudiou a profanação do cemitério salesiano de Beit Jamal visitando a área ofendida em dezembro passado por graves atos de vandalismo sectário. A visita do grupo de judeus, referem fontes oficiais do Patriarcado Latino de Jerusalém, se realizou na sexta-feira, 22 de janeiro. Os visitantes manifestaram aos salesianos, proprietários do cemitério, sua solidariedade. Depois plantaram uma oliveira na entrada da casa religiosa.
Os artífices desta iniciativa de solidariedade pertencem à organização Tag Mehir (“Distintivo Luminoso”), fundada em 2011 com a intenção de combater todas as formas e expressões de racismo em Israel. Já no nome, a organização pretende destacar a sua oposição aos atos de violência e intimidação realizados por grupos de colonos ultranacionalistas a partir de 2012, que atingiram de várias maneiras mesquitas ou locais cristãos (Tabgha, Beit Jamal, Latrun, la Dormizione, etc.), “assinando” os próprios atos com a sigla “Price to tag” (o preço a pagar).
O cemitério adjacente ao mosteiro salesiano de Beit Jamal, na cidade israelense de Beit Shemesh, a oeste de Jerusalém, foi profanado na metade de dezembro. O episódio de vandalismo sacrílego tomou como alvo as cruzes de madeira e de cimento colocadas em muitos túmulos, mas foi divulgado pelo Patriarcado Latino de Jerusalém somente em janeiro. A polícia abriu uma investigação contra desconhecidos, que até agora não teve nenhum êxito. (GV) (Agência Fides 27/1/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network