AMÉRICA/NICARÁGUA - “Chegou a hora de propor os candidatos”: Cardeal Brenes convida a preencher os lugares vacantes no CSE

Terça, 26 Janeiro 2016 política   bispos   igrejas locais  

Masaya (Agência Fides) - O Parlamento da Nicarágua abriu o debate para escolher um magistrado para o Conselho Supremo Eleitoral (CSE), em substituição ao juiz José Luis Villavicencio, pertencente ao partido de Governo Frente Sandinista de Libertação Nacional, FSLN, que se demitiu na segunda-feira. Para ser eleito, o candidato deve receber 60% dos votos do parlamento, isto é, pelo menos 56 votos. O caso é urgente porque se trata do segundo membro do CSE que renuncia em um mês. O CSE é composto por sete juízes, atualmente quatro deles são sandinistas.
O presidente da Nicarágua, Daniel Ortega, candidatou a ex-embaixadora da Nicarágua na Argentina e membro da Comissão especial para a defesa das crianças e dos adolescentes, Norma Moreno.
Quanto a esta proposta, o Card. Leopoldo Brenes, Arcebispo de Manágua, observou que os partidos deveriam fazer a sua proposta, de modo a não poder dizer sucessivamente que alguém foi imposto. "Penso que todos os nicaraguenses que seguem uma linha política tenham o direito de se candidatar. O que conta é que outros partidos proponham seu candidato, porque de acordo com o que li na mídia, a Frente fez a sua proposta, agora é a vez de os outros partidos políticos proporem", afirmou o Card. Brenes antes de presidir a Missa em Masaya, domingo passado.
"Devemos ouvir o que diz o Santo Padre quando fala de política, quando recorda aos políticos para não desprezarem os outros, de fazerem propostas positivas para o povo. Espero que a Comissão da Assembleia consiga escolher a pessoa justa, assim um amanhã poderá ser um ponto de referência para as próximas eleições", disse o Cardeal.
No próximo mês de novembro, a Nicarágua deverá eleger o seu presidente, o vice-presidente, 90 deputados nacionais e 20 representantes no Parlamento centro-americano: para esta eleição, o CSE resulta um organismo imprescindível e fundamental.
(CE) (Agência Fides, 26/01/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network