ÁFRICA/MALAVI - Recuperar as mães adolescentes contrastando práticas tradicionais

Terça, 19 Janeiro 2016 mulher  

INDIVIDUELL MÄNNISKOHJÄLP

Blantire (Agência Fides) – O fenômeno das jovens mães solteiras é uma realidade entre muitas mulheres no Malavi. Na maior parte dos distritos do sul do país, é comum enviar as adolescentes a campos de iniciação, aonde são encorajadas a manter relações sexuais para verificar a sua maturidade. É um rito macabro, conhecido como “kutsatsa fumbi”. No Malavi, as gestações de adolescentes e os matrimônios precoces, especialmente nas áreas rurais, são fomentados por crenças e práticas tradicionais. Graças a uma iniciativa conjunta entre Estado, líderes tradicionais, Igrejas, ONU e outras ONGs, como a Agência Adventista para a Ajuda e o Desenvolvimento (ADRA), em 2014 cerca de 600 mil adolescentes retornaram às aulas. Além disso, com o projeto de ADRA Malavi, quando a mãe é uma menina, são assistidas 300 mães adolescentes. O último estudo sobre o estado de cumprimento dos Objetivos de Desenvolvimento do Milênio concluiu que uma jovem em cada duas se casa antes de completar 18 anos, e algumas até aos 12 anos.
(AP) (19/1/2016 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network