ÁSIA/TAILÂNDIA - Dois cristãos paquistaneses morrem em campos de detenção de refugiados

Sábado, 16 Janeiro 2016 blasfêmia   minorias religiosas   migrantes   refugiados  

Bangcoc (Agência Fides) – A condição de vida dos refugiados cristãos que se refugiaram na Tailândia e que pedem asilo ao país é dramática. Em um fenômeno que está assumindo uma dimensão sempre maior, numerosos cristãos paquistaneses, devido à crescente hostilidade ou por causa de acusações de blasfêmia, emigram para a Tailândia. Pedem asilo, mas são considerados ‘ilegais’ e conduzidos a acampamentos de detenção para refugiados nos quais as condições de vida e a assistência oferecida são bem abaixo dos padrões da dignidade humana.
A jovem cristã de 30 anos, Samina Faisal, após a ausência de cuidados médicos adequados, faleceu no início de janeiro. Agora morreu Pervaiz Ghouri Masih, 33, que combatia contra um tumor. Pervaiz e sua família entraram na Tailândia em fevereiro de 2012, fugitivos do Paquistão depois de serem falsamente acusados de blasfêmia. Sua saúde se deteriorou e somente nos últimos dias foi levado ao hospital, graças à intervenção do Alto Comissariado da ONU para Refugiados (ACNUR). Pervaiz perdeu a vida por ataque cardíaco, em 10 de janeiro de 2016.
Desiludidos e frustrados, os membros da família decidiram retornar ao Paquistão com o corpo de Pervaiz. A tentativa de fugir em busca de uma vida melhor se resolveu com a morte do chefe da família. Já a família de Samina Faisal decidiu permanecer na Tailândia e sepultá-la no país, lutando pelos direitos e pela emancipação dos refugiados paquistaneses. Organizações e líderes cristãos paquistaneses denunciam a situação destes refugiados, abandonados a si mesmos e deixados em condições desumanas.
(PA) (Agência Fides 16/1/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network