AMÉRICA/MÉXICO - “Não podemos ser insensíveis aos sofrimentos das famílias”: Dom Arizmendi diante dos protestos populares

Quinta, 14 Janeiro 2016 indígenas   violência   bispos  

San Cristóbal de las Casas (Agência Fides) – O Bispo da diocese de San Cristóbal de las Casas, Dom Felipe Arizmendi Esquivel, aceitou mediar o conflito que eclodiu no município mexicano de Altos de Chiapas, que nos últimos dias foi palco de violências diante das quais o Bispo afirmou: "A diocese não pode ser insensível aos sofrimentos das famílias ".
O pedido partiu da Comissão permanente do Povo de Oxchuc, que protesta contra a prefeita María Gloria Sánchez Gómez por diversas ações irregulares ocorridas durante as eleições de outubro passado, quando foi eleita, e também porque quando o governo convidou ao diálogo os 38 representantes da Comissão que haviam ido ao encontro, foram presos com falsas acusações.
Sexta-feira, 8 de janeiro, mais de 2.000 habitantes de Oxchuc se confrontaram com a polícia nas manifestações de protesto que deixaram 80 policiais feridos, um grande número de feridos também por parte da população, 30 pessoas detidas pela polícia, 18 casas incendiadas ou destruídas e oito automóveis queimados. Os confrontos prosseguiram com o bloqueio da estrada que vai de San Cristóbal de las Casas a Ocosingo y Palenque. Também este grupo de manifestantes pede a demissão da prefeita pelo bem do município.
Dom Arizmendi foi muito claro: "Alguns dizem que o governo deveria enfrentar esses problemas e não dizer somente que está empenhado na preparação da visita do Papa Francisco, programada para 15 de fevereiro. E têm razão". Depois acrescentou: "A justiça e a paz social são as prioridades, e mesmo assim não percebem que o próprio Papa diz que não podemos ficar com os braços cruzados diante dos problemas da comunidade".
(CE) (Agência Fides, 14/01/2016)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network