http://www.fides.org

Dossiê

2005-09-10

Instrumentum mensis augusti pro lectura Magisterii Summi Pontifici Benedicti XVI, pro evangelizatione in terris missionum

A XX Jornada Mundial da Juventude de Colónia esteve no centro do Magistério de Bento XVI no mês de Agosto. A Jornada foi a ocasião para a primeira viagem apostólica de Bento XVI fora dos muros vaticanos, precisamente na sua terra natal. Uma Jornada inteiramente dedicada ao tema da adoração, como recordava também o título do evento: “Viemos para adorá-lo” (Mt 2,2). Aos jovens o Papa propôs a Eucaristia e a adoração eucarística como o centro da vida cristã, à volta da qual devem girar as jornais de todos os crentes. Particularmente significativos os encontros de Bento XVI com os representantes das diversas confissões cristãos da Alemanha, com hebreus e muçulmanos, durante os quais o Santo Padre reafirmou, entre outras coisas, os princípios inspiradores de um correcto diálogo ecuménico, diálogo que deve acontecer sem trair a verdade, isto é, Jesus Cristo. O Pontífice sublinhou, mais uma vez, os empenhos assumidos desde o início do seu Pontificado: “continuar o caminho rumo ao melhoramento das relações e da amizade com o povo hebraico”, “assumir a recuperação da plena e visível unidade dos cristãos como uma prioridade do Pontificado”, a necessidade de prosseguir “o diálogo inter-religioso e inter-cultural entre cristãos e muçulmanos… é de facto uma necessidade vital, da qual depende em grande parte o nosso futuro”.
“Do coração da Europa antiga - disse o Papa na audiência geral depois da viagem a Colónia, recordando as palavras da homilia conclusiva JMJ -, que no século passado, infelizmente, conheceu horrendos conflitos e regimes desumanos, os jovens relançaram à humanidade do nosso tempo a mensagem da esperança que não engana, porque fundada na Palavra de Deus que se fez carne em Jesus Cristo, morto e ressuscitado para a nossa salvação. Em Colónia os jovens encontraram e adoraram a Eucaristia, o Deus-conosco, no mistério da Eucaristia e compreenderam melhor que a Igreja é a grande família, mediante a qual Deus forma um espaço de comunhão e de unidade entre todos os continentes, cultura e raça, uma - por assim dizer - grande comitiva de peregrinos guiados por Cristo, estrela radiosa que ilumina a história. Jesus faz-se o nosso companheiro de viagem na Eucaristia”.

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network