http://www.fides.org

Asia

2003-10-03

ÁSIA/FILIPINAS - DOM ANTÔNIO LEDESMA FALA À AGÊNCIA FIDES SOBRE A BOMBA QUE EXPLODIU EM UMA MESQUITA EM MINDANAO: RAZÕES POLÍTICAS E NÃO RELIGIOSAS

Manila (Agência Fides) – Não existem motivos religiosos por detrás do atentado ocorrido na tarde de 3 de Outubro na mesquita de Midsayap, na Ilha de Mindanao, Filipinas meridional. As razões foram exclusivamente políticas. É preciso agora tomar cuidado com o perigo da instrumentalização do atentado, para que a violência não envolva as comunidades religiosas. Tal é o pensamento expresso em uma entrevista com a Agência Fides do Bispo Jesuíta Dom Antônio Ledesma, ordinário da prelazia apostólica de Ipil, em Mindanao, e Presidente da Comissão Episcopal para o Diálogo Inter-religioso.
O balanço do ataque é de duas mortes e cerca de 30 feridos. A explosão de duas granadas ocorreu em uma mesquita no município de Midsayap, cidade com uma forte presença católica e uma significativa presença muçulmana. Um porta-voz da segurança local disse que o atentado ocorreu durante as orações da tarde, mas sem nenhuma reivindicação. Segundo as primeiras reconstrução, a maior parte das vítimas seriam funcionários públicos.
“É preciso dizer que não existem grupos cristãos por detrás do atentado”, disse o Bispo à Agência Fides. “É claro que as razões do atentado são políticas, em um momento que é eminente a retomada das conversações de paz entre o governo e os grupos muçulmanos. Não sabemos quem está por detrás do atentado, que quer bloquear o processo de paz. Mas acredito que todos concorrerão para que este ocorrido não comprometa os esforços de paz em curso”.
O Bispo observa que não é o primeiro caso de bombas que explodem em mesquitas em Mindanao (ocorreu o mesmo na cidade de Davao). “Sobre estes episódios estão em curso investigações e, segundo alguns, o exército também estaria implicado. Para mostrar que as religiões não são a causa da violência em Mindanao, estamos organizando a Mindanao Week of Peace, no fim de novembro”.
Dom Ledesma acrescenta que “as relações entre os cristãos e muçulmanos na ilha são boas, em linha geral existe colaboração entre os líderes religiosos dos dois grupos, como testemunhado pela Bishop Ulama Conference que apóia o processo de paz. Mas Mindanao precisa de uma estabilização, que deve ocorrer através de pequenos passos, de modo gradual, com a ajuda de todos”.
(PA) (Agência Fides 3/10/2003; linhas: 33; palavras: 381)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network