VATICANO - Cardeal Filoni encontra bispos, sacerdotes, religiosos e leigos de Bangladesh: “Estamos todos em estado permanente de missão”

Sábado, 12 Setembro 2015

Daca (Agenzia Fides) – Na parte da manhã, o Cardeal Fernando Filoni, Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos, encontrou, hoje, em Daca, os representantes das 7 dioceses de Bangladesh: Bispos, superiores dos religiosos, sacerdotes e leigos, cerca de 120 pessoas. O discurso amplo do Prefeito do Dicastério Missionário teve como tema “A perspectiva missionária na Evangelii gaudium: de uma missão da Igreja a uma Igreja ‘em missão’” e se desenvolveu em quatro pontos: A novidade da Evangelii gaudium; o objetivo do documento; a Igreja como agente de missão; e a perspectiva missionária. “A Evangelii Gaudium não é um documento pontifício composto na maneira tradicional”, evidenciou primeiramente o Cardeal, “ou seja, dividido em várias seções. Além disso, não é um documento que se dirige exclusivamente a uma pequena categoria de pessoas obrigada a tratar com o Evangelho numa maneira quase profissional”. A palavra “missão” é um termo aberto, e desde o princípio de seu pontificado o Papa Francisco repetiu que a perspectiva missionária, ínsita na vida do batizado, vem antes de todo tipo de compromisso pastoral. Segundo o Papa, em linha com os seus predecessores, todos nós, como batizados, sacerdotes, religiosos e leigos, “somos todos chamados a ser agentes de missão, que pertencem a todo o Povo de Deus”.
“O objetivo deste documento é colocar toda a Igreja em estado permanente de missão”, sublinhou ainda o Prefeito da Congregação para a Evangelização dos Povos. “Talvez no passado, pensamos e vivemos a Igreja num modo estatístico, como uma realidade consolidada, ligada à imobilidade e conservação do que a uma realidade ligada ao dinamismo e movimento. O Papa Francisco prefere uma Igreja em movimento, capaz de encontrar expressões novas, novos métodos e uma nova vida”. O Cardeal Filoni sublinhou que toda a Igreja é chamada a ser sujeito de missão enquanto “a Igreja não é uma realidade abstrata, mas uma entidade concreta. Consequentemente, não se pode falar de “natureza missionária” da Igreja sem envolver concretamente todos os cristãos”.
Na última parte de seu discurso, o Cardeal Filoni evidenciou que a Palavra de Deus é o pré-requisito para anunciar o Evangelho, pois ela “continua o diálogo e o encontro de Deus com o seu povo”. Além disso, a alegria da fé que somos chamados a comunicar e testemunhar, nasce do encontro com Cristo. “A manifestação do amor de Deus em Jesus tem um destinatário preciso, cada pessoa, incluindo eu, na experiência de ser salvo por Jesus Cristo. A experiência da maravilha do encontro revela o mistério do amor de Deus para mim. Nisto se encontram as razões para a missão e o seu conteúdo”. (SL) (Agência Fides 12/9/2015)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network