EUROPA – Um milhão de crianças morrem devido a doenças do pneumococo mas as vacinas custam demais

Sexta, 24 Abril 2015

Roma (Agência Fides) – A cada ano, cerca de um milhão de crianças morrem devido a doenças do pneumococo. Atualmente nos países mais pobres, o preço para vacinar uma criança é 68 vezes mais caro do que em 2001, e muitos países do mundo não podem adquirir novas vacinas por causa dos preços elevados. Não existe competição no mercado e os laboratórios farmacêuticos impõem custos muito diferentes para o mesmo produto, dependendo dos mercados.
Uma nota dos Médicos Sem Fronteiras (MSF) recebida pela Agência Fides aponta que a ONG acaba de lançar a campanha global “A fair shot” para convidar alguns laboratórios a reduzir o preço da vacina pneumocócica nos países em desenvolvimento, a fim de consentir mais proteção contra esta perigosa bactéria. Por exemplo, a Tunísia paga mais do que a França; e a África do Sul paga quase o triplo do que o Brasil.
Um dos motivos do elevado preço das vacinas é que são disponíveis poucas informações sobre os preços, e isto obriga muitos países em desenvolvimento e agências humanitárias a negociar com laboratórios farmacêuticas sem a possibilidade de comparar os preços. Em cerca de 45 países, não existem informações sobre o preço da vacina. Em vista da World Immunization Week, MSF convida o público a apoiar a sua campanha nas redes sociais. A cada ano, as equipes dos MSF vacinam milhões de pessoas, a maioria delas em resposta a epidemias de doenças como sarampo, meningite, febre amarela e cólera. No passado, a ong comprou a vacina pneumocócica (PCV) para utilizá-lo em suas operações de emergência. Em 2013 vacinou os refugiados de Yida, no Sudão do Sul. Em 2014, fez vacinações semelhantes com a vacina PCV para os refugiados em Uganda e na Etiópia. (AP) (24/4/2015 Agência Fides)


Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network