http://www.fides.org

News

2014-08-28

ÁSIA/LÍBANO - “Os cristãos e as outras minorias em perigo: deter os violentos”; apelo dos Patriarcas das Igrejas Orientais

Beirute (Agência Fides) – Numa declaração publicada no final de sua reunião realizada em Bkerké (localidade libanesa que se encontra a 25 km ao norte de Beirute), os Patriarcas e os Chefes das Igrejas Orientais denunciam “os crimens contra a humanidade”, perpetrados pelo Estado Islâmico do Iraque (Daech, em árabe) “contra os cristãos, os yazides e outras minoriais”.
Os Patriarcas sublinham que a presença cristã está ameaçada em vários países, em particular no Egito, Síria e Iraque. “Os cristãos destes países são vítimas de agressões e crimes terríveis que os obrigam a sair de seus países, onde vivem há mais de mil anos. As sociedades islâmicas e árabes são desta maneira privadas de sua riqueza humana, cultural, científica, econômica e nacional importante”, afirma o documento enviado à Agência Fides.
Os patriarcas recordam a “catástrofe agora contra os cristãos no Iraque, contra os de Mossul e dos 13 povoados da Planície de Nínive, assim como contra os yazides e outras minorias”. Depois de ter obrigado ao êxodo 120 mil pessoas, o Daech violou igrejas, mesquitas e santuários, e demoliu moradias abandonadas das pessoas que foram obrigadas a se refugiar nas áreas curdas de Erbil (que acolhe 60 mil pessoas) e de Dohouk (que acolhe cerca de 50 mil pessoas). Os patriarcas agradecem aos que oferecem ajuda humanitária aos deslocados e pediram uma intervenção decisiva para deter “as ações criminosas” do Daech. Eles pedem às instituições islâmicas para se pronunciarem contra o Daech e grupos parecidos, que com suas ações “danificam muito a imagem do Islã no mundo”.
No final da reunião os Patriarcas e Chefes das Igrejas Orientais se encontraram com Dom Gabriele Caccia, Núncio Apostólico em Beirute, e com os Embaixadores dos Estados Unidos, Rússia e Grã-Bretanha, além do representante do Secretário-Geral da ONU no Líbano, e os primeiros Conselheiros das Embaixadas da França e China. (L.M.) (Agência Fides 28/8/2014)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network