http://www.fides.org

News

2014-03-26

ÁSIA/PAQUISTÃO - Asia Bibi, apelo adiado por causa de "táticas da contraparte"

Lahore (Agência Fides) - A primeira audiência do processo de apelo de Asia Bibi, mulher paquistanesa acusada de blasfêmia, foi uma vez ignorada. Não pela ausência de juízes, mas por táticas da contraparte. Conforme relatado à Fides pela equipe de defesa de Asia Bibi, na manhã de 26 de março, às 8h, o Supremo Tribunal de Lahore, o Colégio dos dois juízes, no auge de suas funções, chamaram o caso de Asia como 13º na lista. Às 14h, hora da convocação, os advogados da defesa estavam prontos para a abertura da audiência. Em vez disso, faltava o advogado da contraparte. Chamado várias vezes pelos juízes, o advogado não se apresentou. Os dois juízes, depois de uma espera de cerca de 10 minutos, um pouco irritados com a falta de respeito, decidiram conceder um novo adiamento. "Os juízes estavam serenos e queriam examinar o caso. As táticas da contraparte não os permitiram. Mas esse tipo de estratégia irá contra eles. O Tribunal não tolera outras brincadeiras desse tipo", explicam à Fides os advogados de defesa de Asia. "Temos argumentos sólidos e estamos prontos para apresentá-los. Continuamos muito confiantes do ponto de vista legal", explicam os advogados. "Os temores estão todos do outro lado".
No caso de Asia Noreen Bibi, a "contrapartida" é o mulá muçulmano Qari Muhammad Sallam, homem que em 19 de junho de 2009 apresentou a queixa número 326/2009 na delegacia de polícia da cidade de Nankana Sahib, acusando Asia Bibi de blasfêmia de acordo com o artigo 295c do Código Penal. Após uma investigação, a polícia apresentou o seu relatório em 12 de julho, e o caso foi a julgamento no tribunal de primeira instância de Nankana Sahib, com o juiz Naveed Iqbal.
Os fatos imputados a Asia (ter insultado o profeta Maomé depois de uma briga com mulheres muçulmanas) ocorreram em 14 de junho de 2009. Conforme relatado à Fides, os advogados de defesa no processo de apelação, pretendem tocar nesse ponto de intervalo de cinco dias entre a ocorrência do fato (14 de junho) e a apresentação da queixa (19 de junho) para mostrar que as acusações são completamente montadas. Asia foi condenada à morte em 8 de novembro de 2010 pelo tribunal de primeira instância. O apelo número 2509 foi apresentado ao Supremo Tribunal de Lahore em 11 de novembro de 2010. Mas, por motivos de oportunidade, de contexto, por pressões religiosas e políticas, somente agora, depois de quatro anos, foi levado em consideração e programado pela Corte. (PA) (Agência Fides 26/3/2014)

Compartilhar: Facebook Twitter Google Blogger Altri Social Network